16 de abr de 2010

Respostas aos “legalistas” – Pedro, Paulo e as jóias


Argumento -  Com base nestes dois textos, podemos condenar o uso de joias, pois os apóstolos também as condenavam:
“O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de joias de ouro, na compostura de vestidos, mas o homem encoberto no coração, no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.” ( I Pedro 3:3,4).
“Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.” (I Timóteo 2:9,10).


     Começo questionando: Onde estão as proibições? Observe que esses versículos apresentam a mesma estrutura de João 6:27, que diz:

“Trabalhai não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna...”

     Jesus, nesse texto, não proíbe o trabalho para o sustento humano, mas destaca que o foco deve ser o trabalho espiritual. É uma questão de prioridade e não, de proibição. O mesmo acontece com os versículos de I Pedro e de I Timóteo. Os apóstolos não estavam condenando o uso de joias; estavam alertando que as mulheres não deveriam colocar isso como o centro de suas atenções. Quando entendemos esse sentido óbvio, fica totalmente coerente com o que aprendemos em todo o Novo Testamento: amar a Deus, buscar o Reino de Deus acima de todas as coisas, não colocar nada além de Deus como prioridade, não transformar nada humano (seja o dinheiro ou qualquer outra coisa) em objeto de idolatria.
     Não sou favorável a essa abordagem "biblicista" ("bibliólatra"), de querer um versículo para justificar ou condenar cada ação, pois agir assim é não compreender a Palavra de Deus encarnada (Jesus), é usar cegamente a bíblia sem entender sequer o que ela é, quais seus contextos e objetivos... Mas estou fazendo isso para mostrar que até mesmo em uma abordagem assim, o [pseudo]argumento não tem fundamento. Caso esses versículos sejam interpretados isoladamente, sem contexto e ignorando a gramática, como fazem alguns, estariam proibidas também as tranças e os vestidos “chiques”. Mas, além dos motivos já citados essa interpretação é impossível, pois Pedro está se dirigindo às esposas de servos, conforme observamos em I Pedro 2:18. Elas não tinham condições financeiras para possuírem esses adornos, ainda mais em um momento de crise econômica (I Pedro 1:6). A intenção do apóstolo, ao dar esse ensino, parece ser convencê-las a não ficarem chateadas por não possuírem essas joias e vestidos, já que esse adorno humano não tem valor nenhum para Deus. Além disso, caso houvesse alguma proibição, deveria ser aplicada apenas às mulheres casadas, já que o contexto fala da submissão ao marido, certo? Viu como o argumento é raso e tolo?
     O uso de joias é algum tipo de afronta a Deus? Claro que não! Pelo contrário, esses itens eram vistos, de forma geral, com bons olhos pelos hebreus. Rebeca as usava (Gênesis 24:53) e o povo israelita (homens e mulheres) também (Êxodo 32:2,3). Há ainda referências em Isaías 61:10, Provérbios 1:9, entre outras.
     Vamos então interpretar os textos citados no início deste texto:
Pedro quis dizer (dentro de minha compreensão, que embora seja relativa, julgo que seja coerente): O verdadeiro enfeite da mulher não é sua aparência, e sim, seu coração.

Paulo quis dizer: As mulheres devem usar roupas decentes, com bom senso e ornarem-se com boas obras, que são importantes e que certamente não são os enfeites externos!

     Veja o que diz a "Bíblia A Mensagem" (que é uma ótima paráfrase) nesses mesmos trechos:

"O mesmo vale para vocês, esposas: sejam boas esposas, cada uma para o seu marido, atentas às necessidades deles. Há maridos que, mesmo indiferentes à Palavra de Deus, poderão ser cativados pela vida da beleza santa de vocês. O que importa não é a aparência exterior — o estilo do cabelo, as joias, o corte da roupa —, mas sim sua atitude interior."
(I Pedro 3:1-4)


"Considerando que a oração está na base de tudo isso, o que mais quero é que os homens orem, em vez de ficar brigando, como inimigos, e levantem mãos santas para Deus. Quero também que as mulheres tenham sua participação, portando-se com humildade na presença de Deus, sem obsessão por ficar se enfeitando na frente do espelho ou correndo atrás da última moda, mas fazendo um belo trabalho para Deus, tornando-se belas dessa maneira." (I Timóteo 2:8-10)

     Será que ainda resta alguma dúvida?

Autor: Wesley de Sousa Câmara
(Atualizado em 03/06/2015)

O que achou?