9 de jun de 2010

Respostas aos “legalistas” - Sal e luz


Argumento: "O cristão é o Sal da Terra e a Luz do mundo (Mateus 5:13,14), logo não podemos ter uma aparência semelhante aos 'mundanos'".
    
Será que o sal e a luz tem a ver com aparência? Vejamos:

Sal:

- O sal faz a diferença, mas é invisível. A água doce aparentemente é idêntica à água salgada, mas quando provada, percebe-se a diferença. Da mesma forma, o sal é semelhante ao açúcar, mas a diferença está no sabor. O que adiantaria se o sal fosse colorido, brilhante, diferente de tudo, porém insípido?
- O sal tem a capacidade de atrair água dos microorganismos (por osmose), matando-os, o que o torna um potente agente conservador de alimentos. Nós como sal, devemos exercer essa ação de eliminar o mal (sem se contaminar com ele) e combater a podridão que assola o mundo.
- O sal produz sede e é isso que devemos provocar nas pessoas. Uma sede de nos ouvir, pois nossa conversa deve transmitir sabedoria, paz e conforto. Ao invés de fofoca, mentiras e maldições, devemos usar nossos lábios para falar do amor de Cristo, deixando sempre o ouvinte ansioso por uma nova conversa.
- O sal, para fazer efeito, precisa sair do saleiro e ir para o alimento que precisa ser salgado. Assim somos nós. O que adianta dizer que é sal e achar que ser cristão é ir algumas vezes na semana a um culto em alguma "igreja"? Congregar é importante sim, mas isso não é sinônimo de ser cristão. Jesus nos chamou para sermos cristãos PARA FORA e não, para dentro (do templo). Devemos mostrar o Evangelho através de nossa vida para todo o mundo, iluminando o caminho da salvação a todos. Lembre-se: Quem precisa de médicos são os doentes e não, os sãos!

Luz:

- O cristão, por ser luz, deve iluminar o caminho da salvação (que é Jesus) para quem está em trevas. Iluminar é mostrar, ou seja, pregar a Palavra de Deus ao mundo, seja com palavras ou com o próprio exemplo de  vida.
- A luz não se mistura com as trevas e não se contamina com o ambiente que ilumina. Entre luz e trevas, predomina a luz; após iluminar um lixão, a luz continua limpa e pura. Será que somos luz ou estamos nos contaminando com este mundo?
- A luz brilha com intensidade diferente nos polos e nos trópicos. Devemos ser assim, maleáveis, adaptando-nos às diferentes situações. Saber agir, falar e evangelizar em diferentes locais e de diferentes formas. Que luz sábia!
- A luz é a Palavra de Deus e não,
os costumes das "igrejas" (Salmo 119:105). Seguindo os ensinamentos divinos, estaremos sendo luz e exercendo nossa missão de iluminar o mundo!
- A luz se percebe, mas não se pega. Ou seja, a luz é algo imaterial. Ela se mostra em nossos atos e não, nas roupas ou adereços que usamos.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

Referências:
Bíblia de Jerusalém
Bíblia Almeida Corrigida Fiel
Dicionário de língua portuguesa Michaelis

O que achou?