1 de mar de 2013

Templos (prédios) luxuosos


     Você acha justo gastarem milhões de dólares/reais com catedrais, palácios e templos luxuosos enquanto milhões de pessoas sequer tem um teto e o que comer? 
     Jesus ensinou: "Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu..." A religião geralmente se considera representante de Deus na Terra, logo deveria, no mínimo, seguir este ensino (tornando-se "perfeita"), ou seja, vender o templo de tijolos (que a bíblia diz que Deus não habita) e investir no único templo que tem valor para Deus (que o Novo Testamento diz ser cada um de nós). "Ah, mas os cristãos precisam congregar, como o apóstolo Paulo ensinou" - argumentarão. Realmente... É natural que as pessoas que professam a mesma fé tenham prazer em se reunir com outras, não como mandamento, mas como uma forma saudável de vida cristã. Mas onde alguém ensinou a construir prédios? E ainda mais, luxuosos? Cristãos se reúnem em campos abertos, em praças, em casas, em sítios... Não que seja proibido ter um local próprio para reuniões, mas então que se gaste o mínimo possível (exemplo: salões ou prédios simples). 
     Devemos cultuar a Deus com a vida, a cada minuto, em cada atitude. Não é em um domingo, levantando as mãos para cima, cantando ou pulando que você estará agradando a Deus, meu irmão. Se você é omisso e não alimenta quem tem fome, se não dá água a quem tem sede, se não auxilia os órfãos e os desamparados, você ainda não se converteu a Jesus Cristo (pode ter simplesmente se convertido a uma ou outra religião).
     Infelizmente o homem tem a necessidade de ostentação, de mostrar que sua religião é mais rica e mais poderosa, de demonstrar poder e de buscar status. Ou seja, o grupo (religião) que teoricamente defende o Evangelho, faz exatamente o oposto do que ele ensina. 
     Entende porque "Evangelho" não é e nunca foi sinônimo de "Religião"? A religião pode até carregar o Evangelho em si (o que infelizmente poucas vezes ocorre), mas não é regra. Não é a toa que Jesus criticou duramente algumas pessoas. E quem foram essas? Os considerados pecadores? Não! Os censurados foram os religiosos hipócritas!
     A religião leva o homem para dentro de 4 paredes; o Evangelho leva o homem para fora, para o mundo, a fim de salgá-lo e iluminar a humanidade com amor.
     Porém, se você ainda acha que está correta essa ostentação, convido-o a tirar a sua capa de religiosidade hipócrita (desculpe-me pela sinceridade) e a conhecer o verdadeiro Evangelho de Cristo.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

O que achou?