18 de jun de 2013

Onde estão os cristãos e seus líderes nesse momento turbulento?


     Engana-se quem acha que "Evangelho" é simplesmente falar palavras bonitas, citar versículos bíblicos e trazer mensagens explícitas referentes a Deus. Evangelho inclui amar o próximo e lutar para que esse próximo tenha seus direitos respeitados. Portanto, "homens de Deus" não são aqueles que simplesmente pregam bonito em templos religiosos e sim, aqueles que levam o Evangelho com palavras e que demonstram esse Evangelho na vida, não fazendo vista grossa frente aos acontecimentos que influenciam a sociedade. Nos momentos de defender um grupo religioso ou de combater um ponto que vai contra a fé cristã, surgem muitos líderes (inclusive políticos), mas na hora de defender os interesses coletivos, de todo o povo, para onde vão? Estão os líderes religiosos pegando microfones, aparecendo na mídia e usando seus programas de TV para convocar os "irmãos" para defender (sempre de forma respeitosa e civilizada) os direitos de toda uma nação? "Ah, isso não vira voto dentro do grupo a que pertencem. É algo muito geral..." - devem pensar muitos deles. Cadê os mesmos que organizaram passeatas a alguns dias em Brasília para novamente convocar o povo para lutar contra a corrupção, o desvio de dinheiro, os altos salários e os inúmeros benefícios de alguns políticos, o mau uso de dinheiro público (leia "Copa do Mundo"), o descaso com educação, saúde, transporte e segurança? Jamais devemos lutar para que as leis sejam usadas em benefício da nossa crença ou fé, mas sempre lutar para que elas beneficiem a todas as pessoas, independentemente de cor, de idade, de etnia ou de religião. Lutar pelo bem do próximo, principalmente daqueles que mais necessitam, é dever de todo cristão.
     Minha intenção é apenas ajudar você a refletir e não, ofendê-lo, mas se você é um desses que apenas luta por algo que beneficie o grupo a que pertence é um egoísta e hipócrita, características que não devem ser associadas a ninguém que tem o Evangelho puro e simples de Jesus no coração.
     Se não pode ou não quer se envolver em nenhuma manifestação, ninguém está pedindo isso. Apenas não ignore. Ajude quem está lutando de forma pacífica (não os baderneiros) de alguma forma. Isso não é ser esquerdista e o próprio Jesus "protestou" contra os vendilhões no templo, lembra? Se quer ficar apenas no aconchego do sofá, ao invés de compartilhar promessas anti-Evangelho de auto-ajuda ou convidar alguém para joguinhos no Facebook, compartilhe algo útil, que possa levar alguém a refletir sobre qual deve ser o nosso papel na sociedade. Isso é o mínimo que nós brasileiros (e principalmente os cristãos) devemos fazer. E lembre-se: Jesus não necessita de marcha, mas aqueles que são desprezados pelo poder público podem ser beneficiados por esses atos. Ele nunca pediu nenhum movimento para que o engrandecesse, mas sempre ensinou a nos unirmos em prol dos necessitados. E aí, vai ignorar isto também?

Autor: Wesley de Sousa Câmara

O que achou?