25 de nov de 2013

As pessoas gostam de falar, mas não sabem ouvir


     As pessoas não medem palavras, não sabem discutir, debater ou discordar. Gostam de falar, mas não sabem ouvir... Como disse Mahatma Gandhi: "Eu gosto do seu Cristo; o que eu não gosto é dos seus cristãos". E o próprio Jesus criticou alguns: "Esse povo honra-me com os lábios, mas o coração está longe de mim" (Mateus 15:8).
     A maioria dos que se dizem cristãos fala em "Evangelho de Cristo", mas não o tem como modo de viver, de ser. Vive apenas com uma capa religiosa, seguindo regras, cartilhas, tradições e obrigações; muda a aparência, as roupas, o linguajar; adota clichês, frases feitas e alguns vocábulos ("misericórdia", "tá amarrado", "bênção", "varão"...); marca presença em todos os eventos do grupo que frequenta, é assíduo na casa do pastor, assume inúmeras atividades (mais até do que consegue cumprir) apenas para agradar a liderança (quem sabe seja reconhecido no futuro com um cargo eclesiástico, né?) e para sentir-se bem consigo mesmo: "Estou fazendo a Obra de Deus!".
     Deixa de fumar, de beber, de dançar, de sair, de ver alguns programas de TV e fala com a boca cheia: "Deus me libertou e deixei tudo isso pra trás". Porém, parece não entender que a verdadeira conversão não é o que simplesmente deixamos de fazer (afinal, uma estátua também não fuma, não bebe, não rouba, não mata... e isso não faz dela sequer uma pessoa. Não faz dela "gente"!). Conversão ocorre quando começamos a fazer o bem, o que traz vida a nós e ao nosso próximo, o que reflete amor, o que é coerente com Jesus!
     Muitos chamam de "conversão" essa mudança exterior, superficial e hipócrita, que quando é desacompanhada de uma mudança de coração e de mentalidade, apenas esconde um caráter duvidoso e a falta de amor ao próximo. E mais: torna o indivíduo arrogante e prepotente, pois mesmo sendo agora uma pessoa ainda pior que antes, tem uma ilusão de superioridade, afinal, se julga um "discípulo de Jesus", um "convertido", um cristão.
     Infelizmente o povo que era para "contaminar" o mundo com seu amor, mansidão, bondade, fé, equilíbrio, domínio próprio, paz, sinceridade, caridade, lealdade, empatia, está sendo contaminado pela sociedade pervertida, arrogante e indiferente, como aconteceu com a Igreja de Laodiceia. Pessoas são tratadas como pedras, ou pra ser mais exato, como lixo. Falamos sem pensar se ofenderemos; agimos sem medir as consequências; fazemos apenas aquilo que satisfaz o nosso Ego e a nossa percepção distorcida de justiça. O mundo caminha de mal a pior, mas não podemos jamais desistir de seguir a "regra de ouro" de Jesus Cristo:
     "Faça aos outros o que quer que vos façam". (Mateus 7:12)
     Portanto, se você for vítima dessa maldade e dessa hipocrisia humana, não se chateie, não guarde mágoa. Ao invés disso, trate essas pessoas que lhe ofenderam da melhor forma que puder: com amor, com respeito e dê a elas perdão, quantas vezes for necessário. São essas atitudes, de dar a alguém o que essa pessoa não merece, que aprendemos no Evangelho. Sabe qual o nome disso? Graça! Foi isso o que recebemos e se temos o perdão de Deus, devemos perdoar o nosso próximo. E assim vamos prosseguindo, andando juntos no Caminho, na jornada da vida.

Autor: Wesley de Sousa Câmara

O que achou?