24 de set de 2014

Todos temos uma teologia


     Embora o termo "teologia" seja quase demonizado por muitos (por ignorância, no sentido de desinformação) TODOS temos uma teologia. Até quem rejeita o termo "teologia" tem uma teologia: "uma visão que rejeita o que popularmente se chama de teologia". A rejeição dessa "teologia" já é uma teologia e isso a maioria não entende e ainda "torce o nariz". Se você concorda com o que digo, essa é sua teologia (semelhante à minha); se discorda do que digo, essa é sua teologia (uma visão teológica que é incompatível com a minha). Se você crê em Cristo, tem uma teologia cristã, afinal, você acredita que existe um Deus e que um dia Jesus morreu numa Cruz. A partir disso surgem várias implicações. Qualquer compreensão a respeito de Deus (até mesmo se você diz: "é impossível saber algo sobre Deus") é uma teologia, pois é um entendimento sobre Deus, que é baseado na impossibilidade de compreender Deus. Não tem nada de mal nisso.
     Paulo escreveu cartas e os ensinos dele são frutos da compreensão que ele tinha, ou seja, as cartas dele evidenciam sua visão teológica. Quando ele fala de salvação pela graça, por meio da fé, é a teologia de Paulo. Todos os apóstolos tinham uma teologia e todas eram baseadas em Cristo. A teologia de Paulo tinha alguns pontos chave, a de Tiago tinha outros e não necessariamente são incompatíveis uma com a outra. O próprio Jesus tinha Sua teologia: "afirmava ser o Messias, o Cordeiro Eterno de Deus que veio oferecer-se em sacrifício para a salvação do homem. Dizia para amarmos a Deus, ao próximo e para vivermos de forma coerente com esse amor."
     Simploriamente falando, "Amar, perdoar, levantar, acolher, ajudar..." era a teologia de Jesus! Chega de demonizar esse termo, gente!. Vamos perder essa "ingenuidade", pois não tem sentido! Teologia não é meramente um estudo formal em uma instituição e tampouco é o contrário de "ser guiado pelo Espírito Santo". Nada disso! Teologia (termo derivado do grego: Theos + Logos) é toda compreensão e reflexão acerca de Deus, da Criação e da relação entre Criador e criaturas. Até mesmo quem nunca abre a bíblia, nunca reflete sobre nada e apenas repete e acredita no que o seu líder diz no púlpito aos domingos, segue uma teologia: "a teologia desse líder" (detalhe: por não criticar e apenas repetir, é um manipulado por ela, sendo que ela pode ser totalmente incoerente).
     O que acontece é que ao longo dos 2000 anos da história cristã, muita gente já estudou, refletiu e dedicou a vida a essa compreensão da relação de Deus com a Criação. Portanto, mesmo que nós fiquemos fechados em um quarto e sozinhos comecemos a ler a bíblia e a partir disso desenvolvermos nossa compreensão sobre a Palavra e sobre Deus, dificilmente estaremos defendendo algo inédito, pois nesse tempo todo, é praticamente certo que alguém já tenha tido uma interpretação semelhante à nossa e portanto, essa nossa forma de pensar quase certamente até já recebeu um nome. Esse nome representa uma "linha teológica" oficial (Exemplo: calvinismo, arminianismo, luteranismo, pelagianismo...). Não tem nenhum problema nisso, desde que você não ache que alguma dessas compreensões possam conter de forma absoluta, plena e perfeita a Palavra de Deus. Não! Elas são explicações humanas (algumas melhores, outras piores, cabendo a nós seguirmos a que consideramos mais coerente, mais provável, mais frutífera...), relativas, para essa Palavra divina incabível em plenitude em nossa compreensão. Mas lembre-se: não importa qual seja sua "tendência" teológica, se ela não gerar amor em você, abandone-a o quanto antes, pois é engano.
     Se isso ficar claro em nossa mente, estaremos tirando nosso pé do fundamentalismo e, mesmo discordando de outras visões, não dedicaremos nossa vida para guerrear ou para disputar tolamente com nosso irmão que pensa diferente de nós.
     "Mas o Espírito Santo não nos revela a Verdade?" - perguntará alguém. Claro que sim! Porém a Verdade é Cristo, ou seja, o Espírito nos guia até Cristo. Já as nossas explicações sobre como se dá esse processo, em linguagem humana, é por nossa conta. Não são esses detalhes que afastam ou aproximam alguém de Deus.

Autor: Wesley de Sousa Câmara 

O que achou?