23 de out de 2014

Um "deus" pseudocristão que nunca existiu


     Sem querer parecer arrogante ou prepotente (afinal sou um "zé roela" como todos os demais):
      Fico triste quando vejo tantos "cristãos" crendo em um "deus" que nada tem a ver com o que foi revelado em Jesus Cristo, ou seja, quando observo pessoas com uma noção de um "deus" mau, barganhador, aproveitador, escravizador, melindroso, revoltado, implicante, sistemático, "patrão", vingativo...
     Mais triste ainda fico quando olho para as nossas crianças e vejo que elas desde pequenas são "adestradas" a crerem nesse "deus" criado à imagem e semelhança de alguns homens ou de alguns grupos. É... Não temos boas perspectivas a longo prazo...
     E ainda mais doloroso é quando olho para velhinhos, já no fim de seus dias, que passaram a vida toda angustiados, temerosos, culpados e com receio de "não terem sido bons o suficiente" para escaparem do "chicote divino" ou, pelo menos para mostrarem (nem que seja para eles mesmos) pelas suas obras e frutos que foram "fatalisticamente" selecionados entre trilhões de seres humanos já existentes para não queimarem eternamente no "mármore do inferno".
     Que espiritualidade é essa, meu Deus? Uma espiritualidade que não tira o foco do homem para colocar na Cruz? Uma espiritualidade que ao invés de gerar paz, liberdade, amor, gratidão, alegria, esperança e segurança... gera medo, culpa, ansiedade, prepotência e arrogância? Uma espiritualidade que nos faz olhar para nós mesmos a fim de encontrarmos evidências da nossa salvação? Não... Não creio nisso e não consigo me calar diante de uma crença tão incoerente e cruel.
     A que ponto chegamos...

Autor: Wesley de Sousa Câmara

O que achou?