6 de jan de 2015

A bíblia diz que...


     "A bíblia diz"? Será? O teólogo e amigo Joel Costa Jr diria mais ou menos o seguinte: "A bíblia não diz nada, irmão! Quem diz é a sua interpretação dela". E concordo plenamente, afinal, somos todos seres humanos falhos e relativos, buscando uma interpretação consistente e coerente (assim espero) dela.
     Para começar, a bíblia não é um livro; é uma coletânea de livros, cartas e textos (chamados, a grosso modo, de "Escrituras") escrita em mais de um milênio, por dezenas (estimando por baixo) de pessoas, por várias tradições até que aos poucos foi sendo editada, revisada, formada e finalmente compilada (após muita discussão e debate) em um único volume no quarto século. Esse volume único é o que chamamos de "bíblia".
     Ela tem diferentes objetivos e contextos, sendo que quem tenta harmonizar tudo e dar uma interpretação que faça sentido somos nós. Então não existe, por exemplo, uma "visão bíblica sobre um dado tema". Não tem sentido querer que a bíblia lhe dê um posicionamento sobre algo, pois ela pode registrar vários posicionamentos diferentes (afinal cada texto foi escrito por diferentes autores, em diferentes épocas e com diferentes objetivos e contextos). No máximo você verá que, por exemplo, "nos dias de Moisés o autor ou os judeus encaravam esse assunto dessa forma... Nos dias dos profetas, era assim... Jesus via dessa maneira... Os apóstolos aplicaram esse ensino dessa forma...". Agora sintetizar tudo de forma complementar e harmônica? Nem sempre é possível, pois muitas vezes o que lemos em um trecho é quase oposto ao que lemos em outro. E muitas vezes não é questão de erro nenhum ou de falta de confiabilidade da escritura. É meramente questão de entendermos o que é a bíblia e qual a sua função. Se atribuirmos a ela um papel que ela nunca se propôs a ter, obviamente gerará confusão.
     Estabeleça seus critérios. Você é discípulo de quem? De Jesus? Ótimo, então o que fará? Pela bíblia você verá o que Ele fazia, como Ele lidava em cada situação, como tratava as pessoas, o que ensinava... E assim você terá um modelo para seguir. Não seja ingênuo de dizer: "eu sigo a bíblia", pois ninguém a segue. É impossível, pois o que é seguir a bíblia? É seguir Moisés? Davi? Isaías? Jesus? Paulo? Não tem como seguir todos eles ao mesmo tempo. Diga assim: "eu sigo a Cristo e tomo conhecimento histórico dEle pela bíblia". Aí sim. Ela é um instrumento que visa apontar para Ele (que é o Verbo encarnado, a Palavra de Deus revelada em forma humana). 
     Então vamos ser mais humildes ao interpretá-la (lembrando que mesmo aqueles que acham que receberam a compreensão que possuem como uma revelação detalhada do Espírito Santo não escapam de interpretação). Nem mesmo os apóstolos escaparam de interpretação.
     Somos milhões, ou bilhões, de leitores da bíblia e há milhões de interpretações diferentes, nem que seja uma coisinha aqui e outra ali de divergência (e nem por isso o Espírito Santo revelou a Verdade a só uma dessas pessoas, pois não é papel dEle revelar detalhes ou abordagens teológicas. Ele nos revela Cristo, mas as particularidades e interpretações é por nossa conta). Vamos parar de achar que o que pensamos é a Verdade pura e simples e que quem discorda de nós é herege. Sejamos humildes! Sua interpretação é tão relativa quanto a minha. O que muda é que algumas interpretações são mais consistentes e coerentes do que outras. Então que estejamos sempre nessa busca.

Autor:Wesley de Sousa Câmara

O que achou?