30 de set de 2015

E o papa tinha razão: Humanamente Jesus fracassou na Cruz!


     Esses dias "bombaram" nas redes sociais e em sites sensacionalistas evangélicos notícias parciais, protestos, comentários e até ofensas ao papa Francisco, devido a uma suposta declaração feita por ele, em que teria dito que Jesus fracassou na cruz. Quando alguém com um mínimo de bom senso e de criticidade vê uma informação semelhante, o que faz antes de se posicionar? Procura fontes confiáveis (pois as que citei certamente não são, visto que só desejam chamar a atenção e atrair visitas). Então foi isso o que procurei fazer e me surpreendi, pois vendo o vídeo com o trecho dessa declaração do papa, concordei plenamente com ele. Isso mesmo!
     Francisco disse (com grifos meus, para destacar o que é imprescindível para a compreensão do discurso):

(...) "Mas o verdadeiro valor do nosso apostolado é medido pelo valor que o mesmo tem aos olhos de Deus. VER E AVALIAR AS COISAS A PARTIR DA PERSPECTIVA DE DEUS chama-nos para uma conversão constante ao primeiro tempo da nossa vocação e – nem é preciso dizê-lo – a uma grande humildade. A CRUZ MOSTRA-NOS UMA MANEIRA DIFERENTE DE MEDIR O SUCESSO: a nós cabe-nos semear, e Deus vê os frutos do nosso trabalho. E se, às vezes, os nossos esforços e o nosso trabalho parecem gorar-se e não dar fruto, estamos a trilhar a mesma via de Jesus Cristo; a sua vida, HUMANAMENTE FALANDO [esta expressão elimina a possibilidade de polêmica], acabou com um fracasso: o fracasso da cruz."

     E veja como vira uma bola de neve: algumas pessoas, intolerantes, fanáticas evangélicas usam essa fala, distorcida e fora de contexto, para insinuar que o papa disse que Jesus fracassou em sua obra. E como infelizmente vivemos em um país cujo forte não é a educação, nem a criticidade, nem o respeito, muito menos a tolerância, essa afirmação torna-se um "start" em uma bomba religiosa. Milhares, talvez milhões, de evangélicos passaram a compartilhar essas distorções, evidenciando como é fácil manipular as opiniões neste país. Fico profundamente desapontado quando vejo esse tipo de coisa. As pessoas não tem sequer a iniciativa de buscar uma fonte confiável e, a partir disso, parar, pensar, analisar o que foi dito, como foi dito e porque foi dito.
     Mas o que mais preocupa é que esses mesmos milhares ou milhões de pessoas que "malharam o papa" por essa declaração, pois não foram capazes sequer de interpretar corretamente o que foi dito, são os mesmos que defendem o "livre exame das escrituras" (que por sinal, como protestante, também defendo, embora eu reconheça que isso é uma fonte para todo tipo de "asneiras"). Então pense: se não entenderam o que o papa disse, em uma língua próxima a nossa, dentro do nosso contexto de civilização ocidental do século XXI, como essas pessoas poderão entender a bíblia, que foi escrita em um intervalo de mais de um milênio, por no mínimo dezenas de autores, em vários contextos, com muitos objetivos e focos? Por isso temos tantas compreensões absurdas e infantis das escrituras. Vivemos em uma realidade de analfabetismo funcional, sendo que muitos dos nossos formandos em universidades também estão neste grupo, infelizmente. A situação é trágica.
     Mas concluindo: concordo sim com o Papa Francisco, quando disse que HUMANAMENTE (no discurso ele até elevou o tom de voz para enfatizar que não se referia ao "lado divino" da obra da Cruz e sim, à perspectiva puramente humana) Jesus fracassou. E ele mentiu? Claro que aos olhos humanos Jesus fracassou na cruz. Jesus não foi o Messias que os judeus esperavam (por isso a maioria não o aceitou, embora Ele evidenciasse sua messianidade pelos seus sinais miraculosos). Os judeus esperavam um líder militar, revolucionário, que tirasse o domínio de Roma. Como o "Filho do rei Davi" poderia dizer que seu Reino não é desse mundo? Os apóstolos até no último momento pareciam manter a esperança de Jesus não ser preso e fazer algum milagre ou trazer algum poder militar para resistirem aos romanos e assim surpreendê-los, vencendo o poderoso Império. Pedro não abria mão de sua espada... Mas Jesus insistia: "vocês não entenderam ainda? Vocês nem sabem de que espírito são." 
     Olhe para a vida de Jesus sem usar sua fé ou sua crença. O que verá? Um homem que supostamente fez vários milagres, ensinou uma ética legal, defendia o amor e a bondade, mas no fim foi assassinado numa cruz. Morreu! Perdeu! Acabou! Humanamente (como destacou o papa) foi isso que aconteceu. E a falácia de alguns, que alegam que mesmo humanamente falando ele não fracassou, visto que a cruz era o objetivo, não tem sentido algum. Quem vive com o objetivo de ser assassinado? A morte é nosso fim terreno e dela ninguém escapa. Mas dizer que a cruz era o objetivo é fruto de fé (cristã) e não, de uma lógica humana. Filosoficamente falando, querendo ou não, Jesus fracassou. A vitória da Cruz é vista não pela ótica humana e sim, pela ótica da fé cristã. A morte não dá a última palavra. Ela não tem a vitória. A vida, a morte e a ressurreição de Jesus foram a revelação da vitória divina sobre o Pecado, sobre a morte, sobre principados e potestades. Foi a vitória do amor, do perdão, da justiça e da misericórdia. Mas todas essas vitórias não são vistas com olhos humanos, o que mostra que o Papa Francisco, na minha compreensão, não tenha dito nenhum absurdo.
     Mas ter que ver tantas pessoas chamarem o papa a um falso profeta ou associá-lo à visão apocalíptica da "besta", fico-me a pensar, sem querer ofender com a piada, se os tais acusadores não estão exercendo a figura de bestas (agora no sentido popular mesmo). Quero de coração acreditar que essa associação e essa rejeição à fala de Francisco tenha sido por mera ignorância (não ter compreendido o que ele claramente pareceu dizer), pois cogitar a possibilidade de todos esses que se dizem cristãos estarem distorcendo por maldade, assusta e corta meu coração.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

O que achou?