10 de out de 2015

HOMOSSEXUALIDADE: Cristãos, vamos pensar?


     Cometer um ato imoral não é "Pecado" em si. O Pecado é a capacidade de cometer um "ato imoral".
     Jesus não parece focar na PRÁTICA para definir o Pecado e sim, em algo que precede a motivação do coração; para Ele, Pecado é a essência do ser humano. Por exemplo, Ele diz que o que faz uma pessoa adúltera não é o fato dela PRATICAR o ato de ter um relacionamento ilícito e sim, que o desejo no coração já é uma evidência de que ela já é adúltera ("aquele que olhar com olhos impuros já adulterou..." - Mateus 5). Perceba que Pecado precede até mesmo o desejo da pessoa. João reforça esse ensino quando diz que não precisa matar para ser assassino, pois quem odeia JÁ É (e não, "se torna") assassino (I João 3).
     Jesus aprofunda muito mais a consciência do pecado, de forma que se a homossexualidade é realmente pecado, como crava a maioria dos cristãos brasileiros (e não irei neste curto texto entrar nessa discussão), o que definirá se uma pessoa "está nesse pecado" não será a "prática" (relação homoafetiva/homossexual). O desejo, o coração da pessoa, já é uma evidência (consequência) do que ela é.
     Então veja o óbvio, que até uma criancinha pré-escolar pode entender:
     Se homossexualidade é pecado, tanto faz ter ou não um relacionamento homossexual, se por dentro (no coração, na mente) o indivíduo é (ou "se considera", como queiram) um homossexual, se sente atração por pessoas do mesmo sexo. Se Jesus é o parâmetro absoluto para avaliar eticamente tudo e todos, para mim isso se torna evidente.
     Aí ter que ouvir desses pregadores fundamentalistas a falácia de que "já que a pessoa diz ser gay, que pelo menos abra mão de se relacionar com um gay (ou seja, abrir mão da "prática") pra não pecar", é algo que chega a me dar náuseas, pena ou sei lá o que. Então decidam: se acham que alguém irá "queimar no mármore do inferno" por ser gay, que sejam coerentes de chegarem diante dos gays para dizer: "não importa se você tem ou não relação homossexual. Se for gay, está danado! Não tem essa de abrir mão de ter uma relação homoafetiva em prol da salvação ou do Reino de Deus, pois o pecado está em sua essência".
     Claro que todos podem ter determinados posicionamentos (e dentro do cristianismo há a "todos os possíveis", acredite, sendo que vários tem argumentos válidos e em outro texto abordaremos essa discussão), mas tenham um mínimo de bom senso e de coerência. Enquanto ficarem com esse conceito de "pecado" e não assumirem que pecado não é um mero ato, continuarão nadando nesse mar de hipocrisia. A fé cristã baseia-se na premissa de que diante de Deus somos todos igualmente pecadores.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

O que achou?