9 de out de 2015

"Minha teologia é só Jesus." Não, isso é impossível!


     Muitos dizem não seguir nenhuma teologia, já que "demonizam" esse termo. Porém a negação da teologia já é uma teologia: "é uma reflexão/visão/interpretação que não se deve especular ou entender Deus". Todos os escritores bíblicos, foram, de alguma forma, teólogos. Jesus foi teólogo, os apóstolos também. Você que lê a bíblia e cria/demonstra uma compreensão, no fundo, é um teólogo. Nem que seja um "teólogo papagaio" (que só repete o que seu líder religioso diz) ou um teólogo que foge do cristianismo histórico (por exemplo, seguindo essas seitas pseudocristãs focadas na prosperidade).
     Qualquer reflexão ou compreensão da fé já é uma teologia. Quando se assume que "Deus é o que Jesus revelou" se adotou uma teologia. E uma teologia cristã, cristocêntrica. Ninguém escapa! Essa teologia, por sua vez, dependerá de nossa percepção sobre quem é Jesus, com base nos relatos dos evangelhos. Cem pessoas lendo a mesma bíblia terão cem percepções diferentes, pois nossa compreensão depende de nossa "lente". Somos influenciados por nossas preferências, pré-concepções, pré-conhecimento, cosmovisão, ambiente, história... Portanto, quando dizemos que seguimos só Jesus, na verdade estamos dizendo: "sigo o que minha percepção me permite enxergar do que foi Jesus". Basta ver que tantos dizem que "a teologia que seguem é só Jesus" discordam em muita coisa. Tenho dezenas de amigos que dizem isso e nenhum concorda totalmente com o outro. Mas se Jesus é um só, deveriam ser unânimes. Isso só mostra que seguimos o que queremos de Jesus ou o que percebemos em relação a Jesus, sendo que isso não é uniforme... Não tem como fugir disso.
     E mais: se pegarmos a teologia que eu, você ou qualquer outra pessoa segue, comparando com a história, veremos que nos enquadramos em alguma linha/tradição desses 2 mil anos de história da Igreja. O que chamamos de "só Jesus" (ou de "evangelho puro e simples") praticamente sempre é uma teologia que tem até nome (só não sabemos pois não dedicamos tempo ao estudo do que já discutiram por séculos, já que "temos" essa ideia de que "teologia não importa"). Se não fecharmos os olhos para a história e não inventarmos de começar do zero novamente, isso se tornará óbvio.
     Ninguém precisa ter aversão a rótulos. Tenha aversão a crer em algo sem questionar profundamente se essa sua crença tem fundamento.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

O que achou?