26 de dez de 2015

Verdade é o que corresponde à realidade


     Define-se algo como VERDADE quando é correspondente à realidade e não, quando é amplamente aceito. Portanto, não se engane, a maioria pode sim, em qualquer momento ou contexto, estar errada. E mais: Algo é verdade não por meramente ter sido escrito ou dito por uma "autoridade" e sim, por ser observável no mundo real.
     Uma afirmação que não é passível de observação (pelo menos não no momento), pode ser chamada de fé, de esperança, de crença, de desejo, de intuição, mas não de fato ou de "verdade" propriamente dita... Afinal, ela não é baseada em evidências para ser encarada como realidade. Já uma afirmação que quando submetida à observação se mostra nitidamente equivocada, é uma ilusão, um engano. Não venha me chamar isso de fé, pois isso é alienação.
     Exemplo? Vida após a morte. É verificável? Não. Logo, não pode ser chamada de "verdade" (ninguém vai e volta com provas/evidências concretas dela), embora claro que possa ser verdade (e a fé cristã ortodoxa a assume como "verdade"). Ela é fruto de uma fé, de uma esperança, de uma crença. Já a morte é uma verdade incontestável, observável. Querendo ou não, acreditando ou não, um dia todos morremos e não há como negar. E a afirmação que Deus é um Pai amoroso e que tudo o que acontece ocorre por ação dEle? É algo que não é verdade e nem pode ser chamado de uma fé séria ou de uma esperança. É uma tolice mesmo. Não é que seja algo não passível de análise e sim, que é algo que quando observamos, vemos que não funciona. Se Deus é amor, soberano e controla tudo na vida, o mal fica sem explicação. Ou Ele é bom ou controla tudo. E não dá nem pra atribuir o mal a um cara chamado "diabo" e ao mesmo tempo dizer que Deus é amor e soberano, pois se o diabo provoca o mal sendo Deus bom, Ele não é soberano. Entende?
     O que quero dizer? Que as coisas podem ser divididas em 3 grupos: VERDADES ("fatos" - aquilo que é observável e inquestionável diante dos nossos sentidos); FÉ (cada religião professa uma fé, um conjunto de crenças, de dogmas, de esperanças, de afirmações, de desejos, de ideias...), que pode ser ou não uma verdade (não temos como garantir, observar com nossos sentidos se é real ou ilusório); TOLICES (afirmações muitas vezes chamadas de "fruto de fé ou de revelação", mas que na prática podemos submeter a análise observacional e vemos que é equivocada, irreal ou que não funciona dessa forma).
     Sempre faça o exercício de diante de todo pensamento, ideia ou afirmação, encaixar em um desses 3 grupos. Se for tolice, rejeite. Se for verdade, acate. E se for fruto de fé/esperança, analise e argumente, seja para defender ou para rejeitar. Só não abra mão de pensar e questionar. E não tenha medo, pois achar que é pecado usar a razão é algo que podemos colocar nesse grupo das tolices. 

Autor: Wésley de Sousa Câmara

O que achou?