8 de mar de 2016

Melhor mudar de opinião do que ser um 'poste'


     Esses dias, quando olhei alguns textos e comentários meus de alguns anos atrás (nem são tantos, no máximo 2 ou 3 anos) fiquei profundamente envergonhado. "Não acredito que escrevi tamanha bobagem", pensei. E pior: "Não acredito que expus publicamente ideias tão ridículas".
     É vivendo e aprendendo. Ruim por um lado, ótimo por outro. Sinal que não fiquei parado no mesmo lugar. Quem sabe daqui um tempinho eu me envergonhe do que digo hoje. A vida é assim, crescendo e aprendendo. Uma "metamorfose ambulante"? Pode ser. Como diria o locutor esportivo Nilson César: "Melhor mudar de opinião do que ser um 'poste'".
     Como diria um amigo, devemos ter um chão (e mesmo assim, esse chão, esse conjunto de fundamentos, deve estar sempre sendo "reforçado"), mas nunca, um teto. Isso é liberdade para aprender, acertar, errar, mas nunca desistir de tentar e de ir além. Medo do quê?
     Não, não é "pecado" e nem é feio questionar e mudar de opinião. Feio é ver o mundo passar diante de nossos olhos e a ficarmos estacionados com as mesmas ideias que não condizem com a realidade. Isso não é "ter palavra"; isso é ser "cabeça dura".
     Pense nisso e vamos caminhando.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

O que achou?