5 de jul de 2016

Debates teológicos com foco distorcido


     A discussão Arminiana VS Calvinista VS Semi-pelagiana em relação a salvação (pré-ciência de Deus sobre quem perseveraria até o fim? Deus predestinando/elegendo aqueles que seriam salvos e que, como causa ou consequência, fossem fieis?) é completamente sem sentido.
     A Salvação é uma dádiva, é Graça (favor imerecido). Ela não vem pelo fato de você ser fiel, obediente ou cumpridor da Lei. A sua fidelidade e obediência, por mais perfeita que pareça aos seus olhos, sempre estará a uma distância infinita do que exige a Lei divina. Logo, o argumento "sou salvo porque sou fiel e perseverante na vontade divina" é tão sem sentido quanto o "sou salvo porque fui eleito e minha fidelidade e perseverança evidenciam isso".
     Amigo, nossas melhores virtudes não passam de "trapos de imundície". Elas não nos salvam e tampouco podem ser evidências inegáveis de algo divino (sem contar que muitos "frutos", "obras" e virtudes a gente pode forçar, quando nos convém, e enganar uma multidão). Percebe porque o foco desses debates sempre estão distorcidos?
     Deus nos salva porque Ele é amor e deseja que ninguém se perca. Ponto. O resto é prepotência nossa.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

O que achou?