23 de jul de 2016

Bíblias nas escolas?


     Quem nunca ouviu ou leu a famosa citação abaixo?

"Bíblias não são mais lidas nas escolas, mas sua leitura é incentivada nos presídios. Se as crianças pudessem lê-las nas escolas, talvez não viessem a lê-las nos presídios!"      

     E o que dizer dela? Acho extremamente tola e explico os motivos:
     Na escola é para serem lidos livros didáticos, de acordo com as disciplinas curriculares nas áreas sociais, biológicas, exatas... Afinal, o objetivo da escola é a educação. Religião/fé não é papel da educação escolar. Não dá pra ser anti-ético ao extremo e querer ler a bíblia nas escolas, pois diversas outras religiões exigirão, com toda razão, que seus livros também sejam lidos. Duvido mantermos essa opinião religiosa quando chegar um pai dizendo: "ok, mas vamos também ler na escola o Alcorão". E ainda outro pai: "ok, mas vamos também fazê-los ler a bíblia satânica". Ah, aí você não vai gostar, né? Pimenta no "olho" dos outros é refresco...
     E as atrocidades cometidas durante a história por pessoas que usavam determinadas interpretações da bíblia como justificativa? Há os que usam até hoje as histórias de Moisés e Josué para se acharem mais amados por Deus ou detentores de determinados benefícios; há quem use outras histórias hebraicas para defender um Deus sádico, caprichoso e vingativo (bem diferente do que Cristo nos revela); há quem cite salmos para defender a soberba, o orgulho e a vingança; há quem use o livro do Apocalipse para defender um leque quase infinito de interpretações, de sóbrias a extremamente infantis. Enfim...
     Toda leitura (inclusive bíblica) requer interpretação e quem garante qual interpretação seria dada às crianças nas escolas? Para começar, em pouco tempo, você que defende a leitura/ensino da bíblia nas escolas provavelmente seria mais um contrário a tal medida, visto que o que seu filho aprenderia lá algo que dificilmente coincidiria com a interpretação que você tem da bíblia. Ou seja, lá ensinariam um interpretação da bíblia e na sua casa e na sua igreja, outra bem diferente.
     Então seja coerente, honesto, respeitoso e ético. Vamos defender um estado laico, com cada estrutura da sociedade fazendo apenas o seu papel.
     E se a simples leitura bíblica inibisse o crime, não seriam a maior parte dos criminosos filhos de cristãos, ex-frequentadores de escolas bíblicas dominicais ou com história de catecismo realizado. Não existiriam pastores corruptos, nem padres pedófilos. Na cadeia não haveria sequer um "desviado". Então reveja seus argumentos, pois na prática sua teoria já mostrou que não funciona. E se um discurso não parece ser aplicável à realidade, é apenas falácia.

Autor: Wésley de Sousa Câmara

O que achou?