7 de set de 2016

Deus não criou para Sua glória e nem para ser adorado


     Isso é óbvio e é um dos motivos pelo qual não adoto a teologia reformada/calvinista. Não tem como Deus ser amor e, ao mesmo tempo, criar "para Sua glória". Ou um, ou outro. Paulo, (I Coríntios 13) disse que "o amor não busca seu próprio interesse". E criar para ser adorado ou glorificado é interesse próprio. É narcisismo!
     Deus criou por amor. Criou pois quis compartilhar desse amor com suas criaturas. O amor não se contém. O amor reparte. O amor contagia, se expande.
     Sigo a linha de K. Bart que diz, a grosso modo, que Deus criou com um objetivo: Jesus Cristo. Ele é o foco, o centro e a razão/intenção da criação. Nós somos coparticipantes dessa história. Temos o privilégio, por graça, de dela fazer parte.
     Adoramos a Deus por consciência, por gratidão, por sermos constrangidos diante de tanto amor e não, por ser esse o desejo ou necessidade de Deus.

Autor: Wésley de Sousa Câmara
07/09/2016

O que achou?