5 de fev de 2017

Fontes não confiáveis na internet


     Nenhum cristão foge de uma tradição e de uma teologia, mesmo que na teoria ingenuamente rejeite esses termos. Isso mesmo! Todo mundo segue (querendo ou não, sabendo disso ou não) uma tradição teológica. Com um mínimo de esforço encontraremos que aquilo que defendemos e que chamamos de "evangelho puro e simples de Jesus" não tem nada de puro ou de simples e em algum momento nesses mais de 2 mil anos de história cristã o que cremos já foi defendido por alguém e quase sempre essa compreensão tem até um nome.
     Basta observar que há cristãos que defendem compreensões muito diferentes sobre esses pontos diversos e todos dizem seguir o "evangelho puro de Jesus". Oxi. Como assim? Então os que dizem "não seguir teologia nenhuma" deveriam concordar 100% entre si, já que defendem supostamente a "pureza e simplicidade de Jesus", certo?
     Infelizmente algumas teorias conspiratórias e alguns radicalismos tem se tornado moda nessa geração atual. A internet facilita encontrarmos muita coisa de qualidade, mas também nos submete a informações e ideias absurdas, tolas, infantis, falsas, que por sinal são maioria nas redes sociais, Youtube, blogs...
     Por isso insisto que devemos sempre analisar as fontes que usamos para ler e estudar, pois quase sempre, quando ouço alguns absurdos e pergunto de onde veio aquela ideia, as referências são pessoas que não são reconhecidas internacionalmente como autoridades no assunto. Aí fica difícil... Melhor ler e ver pouca coisa, mas de qualidade (e dificilmente achará isso vindo de autores brasileiros, pois somos teologicamente "bebês" perto de outros países), do que encher os olhos e ouvidos de bobagens.
     "Ah, mas quem é você pra dizer isso se você é um 'Zé Ruela'?" - dirão alguns. A esses respondo: "Sim, sou um Zé ruela, assumo, e justamente por esse motivo vou atrás de fontes respeitadas e confiáveis para aprender e não, atrás de fontes provenientes de outros Zé Ruelas como eu". Rsrs Sugiro que todos façam o mesmo. Fica a dica!

Autor: Wésley de Sousa Câmara
05/02/2017

O que achou?