22 de abr de 2017

Culto de milagres?

 


     Certamente que milagre com hora marcada (como cultos ou eventos com promessas de milagres) é armação descarada. Mas vou além: milagre, por definição, é algo excepcional, fora do esperado, sem possibilidade de uma explicação racional, plausível. Milagre vai muito além do improvável. Por exemplo, ganhar na mega-sena é improvável, mas plenamente possível e matematicamente/estatisticamente explicável. Logo, não é milagre. Agora vejo pessoas que ficam livre de uma doença (a maioria fez algum tratamento ou era uma doença com algum potencial de regressão espontânea - e não estou aqui negando curas miraculosas/divinas) e dizem ser milagre; vejo pessoas escaparem de um acidente de carro e dizem ser milagre (oras, a minoria dos acidentes geram danos fatais ou graves); vejo pessoas escaparem de um assalto ou sequestro e dizem ser por milagre; vejo pessoas terem um bebê após um diagnóstico momentâneo de esterilidade ou meramente de infertilidade e após algum tempo, nasce uma criança e pra elas é milagre).
     Milagres poderiam ser considerados se, em toda a história da humanidade, pudéssemos contá-los nos dedos. Mas hoje todo mundo diz ter presenciado ou recebido um milagre. Milagre banalizado e corriqueiro assim deixa de ser milagre. Não digo que seja armação como os líderes que prometem milagres em cultos ou eventos ou ritos, mas no mínimo é uma ingênua ilusão.
     Se seu carro for roubado agora de sua garagem você aceitará alguém dizendo que ele foi milagrosamente abduzido por demônios? Não! Procurará uma explicação racional, plausível, verossímil, como: "Algum ladrão o levou". Então porque quando lhe convém você abre mão das explicações possíveis e prováveis para adotar as "impossíveis" e improváveis? Cadê a honestidade e a coerência?

Autor: Wésley de Sousa Câmara
22/04/2017

O que achou?